Buscar
  • Luciane Rodrigues

Sobre o Rafa

Hoje eu quero falar sobre o Rafa. O Rafael, meu filho mais velho, de quase quatro anos. O Rafa é um garotinho sensível e detalhista. Adora ficar perto de mim e do pai. E é muito carinhoso. Mas também tem suas explosões de temperamento e de manhas, que me deixam doida.

Até os dois anos de vida dele, nós éramos grudados. Era mamãe pra lá e pra cá.

Mas no ano passado, nós nos afastamos. Foi o primeiro ano de vida da minha caçula, a Clarinha. E eu confesso que não dei conta do combo: 2 filhos, tarefas domésticas, trabalho.

Com a Clarinha mamando quase que a madrugada inteira e eu trabalhando à tarde e à noite, restavam para o Rafa as minhas manhãs. Que ele precisava dividir com as benditas tarefas domésticas e a minha pressa pra trabalhar.

Pobre pequeno. Que mãe estressada eu fui pra ele! Que mãe estressada eu ainda sou. Estou aprendendo a ser uma mãe legal para o Rafa. Estou muito longe do que quero ser.

Mas eis que surgem as férias de julho do meu filho. E pela primeira vez, não estou trabalhando nesse período. Eu e o Rafa estamos ficando juntos, o dia todo. Às vezes, me dá um pânico: o que vou fazer com esse menino hoje? E sabe o que tá acontecendo? Está sendo divertido.

Já fui com o Rafa no cinema, no museu e no Playland. Lavamos roupa, fazemos bolo e tomamos café da tarde. Descemos no playground do prédio pra jogar bola. Ele é um ótimo parceiro no supermercado. E gosta da minha companhia. Mais do que tudo. O que eu sei que é um privilégio enorme.

Hoje, saiu um sol lindo. E o levei para brincar no parque onde eu passei boa parte da minha infância. Brincamos naquele que foi meu playground favorito. Brincamos até cansar.

À noite, ele, que sempre quer tomar banho e dormir com o papai, queria a mamãe. E eu, me emocionei.

Todos os dias, ele se esquece dos meus momentos brava e cansada. E ainda me escolhe para ficar ao seu lado.

Obrigada, filho. Obrigada por me ensinar todos os dias sobre o amor.

51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Boas novas

Já faz um ano que parei de alimentar o blog. Oficialmente, meu período "Sabático de mãe" terminou em maio do ano passado. Foi quando comecei meus estudos, cursos e terapia. Estou num momento de transi

Sobre pequenos prazeres

Comer um bolo que acabou de sair do forno com um café coado na hora. Preparar a própria comida ao som de The Clash na vitrola. Escrever por INSPIRAÇÃO e não por PRESSÃO. Ter tempo para conversar e abr

A mulher-mãe

Ser mulher dói. Ser mãe dói mais ainda. Isso não sai da minha cabeça. Desde que eu tirei o meu período sabático de mãe, há dois anos, as fichas da minha vida tem caído com uma intensidade brutal. Mome